quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Caim!... Caim!... Caim!...

Caim!... Caim!... Caim!...

O mesmo é dizer:

Ladrem!... Ladrem!... Ladrem!...

Os cães ladram e a caravana passa.

In: Página Oficial de Mário David (deputado ao Parlamento europeu eleito nas listas do PSD) - Saramago: Já Chega!

"José Saramago, há uns anos, fez a ameaça de renunciar à cidadania portuguesa. Na altura, pensei quão ignóbil era esta atitude. Hoje, peço-lhe que a concretize... E depressa! Tenho vergonha de o ter como compatriota! Ou julga que, a coberto da liberdade de expressão, se lhe aceitam todas as imbecilidades e impropérios?
Se a outorga do Prémio Nobel o deslumbrou, não lhe confere a autoridade para vilipendiar povos e confissões religiosas, valores que certamente desconhece mas que definem as pessoas de bom carácter."

Enquanto o PSD estiver infestado de gente desta, não haverá alternativa ao PS. Porque é que este tipo não se candidata pelo PNR? Tenho vergonha de ter gente desta a dizer-se representante do meu país no Parlamento Europeu.

Mas a Lucidez existe In: WEHAVEKAOSINTHEGARDEN

"Goste-se ou não da pessoa, goste-se ou não da escrita, quem não gosta nada é a igreja. Zangam-se, e zangam-se porque sabem que o que ele analisa de forma racional, lógica e cientifica o seu livro sagrado e facilmente mostra exemplos de como aquele Deus, que o homem criou, é cruel e mau. As contradições e discrepâncias são mais que muitas e facilmente evidenciadas. Contra isto, tudo o que a igreja pode argumentar é a Fé cega e irracional. Por isso se zanga, como sempre se zangou quando alguém a ousa questionar. Que se zanguem, mas não chateiem."

E até num pequeno burgo, em Estremoz, Kruzes Kanhoto dá espaço ao debate e abre a comentários de terceiros In: A "coragem da velha carcaça"

"Não gosto da obra de José Saramago. Tentei lê-lo muito antes de se imaginar que o homem pudesse um dia ser laureado com um Nobel e, confesso, desisti. Também não gosto de o ouvir falar. Embora, felizmente, as suas aparições televisivas sejam raras, o homem tem por hábito despejar um chorrilho de disparates que, não sendo de estranhar em pessoas da sua idade, não parecem próprios de alguém que tem um certo prestígio a salvaguardar.
Gostei, no entanto, das declarações que o dito escritor proferiu ontem em Penafiel por ocasião do lançamento do seu último livro. Não porque conheça a Bíblia, foi livro que nunca me despertou qualquer tipo de curiosidade, mas sim pela frontalidade, descaramento vá, com que Saramago se referiu à religião e à escravatura do homem perante um suposto Deus que um dia alguém se lembrou de inventar. Pode tê-lo dito de forma arrogante e apenas com a intenção de promover a sua obra através da criação de um polémica artificial mas, apesar disso, foi, quanto a mim, uma daquelas verdades inconvenientes que alguém tinha de dizer."

A presente situação faz-me lembrar um distinto xuxialista eborense que a propósito de Saramago dizia há uns tempos: Não gosto! Não leio! (próprio da pobreza de espirito dos xuxas - como pode não gostar se não lê?).

De um lado chove de outro faz vento. Porque será que as verdades incomódam esta gente (Mário David - laranja podre e Monarca Pinheiro - rosa murcha).

Mais do que o homem interessa-me a obra. E a obra de José Saramago contribui para despertar consciências neste nosso país à beira mar plantado.

Vou ler o seu último livro "Caim" e pela polémica que já está instalada o mesmo promete.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Loading...